Dentro de qualquer negócio, é comum que as equipes passem dias e dias estudando possibilidades de estratégia, de aplicação e de aumento nos resultados. Pensando nisso, como medir se efetivamente essas ações estão funcionando? O segredo está nos KPIs.

Precisamos falar como eles podem ser fundamentais para o andamento de qualquer companhia. Afinal, de nada adianta ter uma excelente campanha idealizada, mas não saber que os números estão baixos.

Entender os dados que podem ser extraídos do dia a dia é fundamental para uma construção de planejamento e estratégia que atenda as necessidades da empresa. Por isso, no artigo de hoje vamos falar tudo sobre o KPI e como ele pode ajudar sua empresa a crescer.

O que é KPI?

É a sigla para “key performance indicator”, em português a tradução fica “indicador-chave de performance”. Nesse sentido, estamos falando sobre a medição de ações tomadas pela empresa para saber se está gerando os resultados esperados.

Por exemplo, será que a estratégia de marketing de conteúdo funcionou? Um indicador é o índice que vai medir exatamente os números envolvidos nessa estratégia.

Com isso, a empresa pode entender o atual momento, o resultado da campanha e o que pode ser feito para melhorar esses resultados. De maneira geral, funciona como uma grande base de dados para auxiliar a tomada de decisões da empresa.

Em geral, um KPI pode ser dado em números. Por exemplo, 65 e-mails enviados foram abertos pelos leads. Além disso, o percentual também pode ser usado, sendo o mais comum.

Para percentuais, normalmente dizemos que aquele mesmo e-mail obteve uma taxa de abertura de 80%. Ou seja, é apenas a demonstração dos dados.

Como saber qual KPI é bom?

Em meio a quantidade de indicadores presentes no dia a dia de qualquer empresa, como saber se determinado número é importante e deve ser classificado como KPI?

Normalmente, o erro da maioria das empresas está em considerar índices que não possuem informações relevantes para decisões. Ou seja, sobrecarrega o time com análises que no final não são as melhores escolhas.

Pensando nisso, existem três pilares considerados como base para um KPI ser considerado importante e, principalmente, como uma possibilidade de melhorias para a empresa. Sendo assim, vamos falar sobre a periodicidade, a relevância e o auxílio na tomada de decisões.

1. Periodicidade

Para ser considerado um bom KPI, uma das principais características é sua possibilidade de ser periódico, ou seja, ser analisado de forma constante. Nesse sentido, é com essa periodicidade que os analistas conseguem entender o andamento desse índice.

Por exemplo, de nada adianta escolher KPIs que só podem ser medidos a cada seis meses. Como tomar decisões para melhorar se você não consegue analisar o seu andamento? Por isso, entender a importância da periodicidade é fundamental.

Indicadores com boa periodicidade normalmente são aqueles que podem ser medidos diaria, semanal ou mensalmente.

2. Relevância

Se o objetivo dos KPIs é ajudar nas decisões estratégicas da empresa, como usar indicadores que não mudam nada nesse planejamento?

Nesse caso, usar indicadores apenas para preencher espaço pode ser uma grande perda de tempo, dinheiro e espaço. Pensando nisso, entendendo que o KPI é periódico, precisa ser feita a pergunta: é relevante?

Ou seja, eu conseguiria mudar toda uma estratégia a partir desses números? Pode trazer uma mudança de resultado para a empresa?

Com isso, essa escolha passa a ser mais saudável e, principalmente, mais relevante para os próximos passos da empresa.

3. Importância na tomada de decisão

Somando os dois primeiros itens, chegamos ao que é considerado o grande objetivo de um KPI: ser relevante na tomada de decisão. Nesse sentido, pensamos principalmente como pode ser usado para a empresa mudar seu jeito de pensar.

Indicadores como a quantidade de leads é extremamente usado para tomar decisões dentro de uma empresa, já que são as principais oportunidades de negócio. Por isso, toda e qualquer medida deve ser feita pensando nessa característica.

No entanto, é importante ressaltar que determinado KPI pode ser fundamental para determinado caso, mas para outro ser irrelevante. Essa capacidade de entender o momento de usar cada indicador é um grande diferencial competitivo.

Afinal, todos os dados coletados dentro de um negócio são importantes, eles só precisam ser usados da maneira correta e principalmente no momento correto. Assim, o descarte de um dado nunca deve ser uma opção, e sim a realocação para uma área que faça mais sentido.

3 tipos de KPIs

Pensando pelo lado que existe uma série de indicadores de desempenho, é natural que já exista algum tipo de classificação entre eles. Afinal, eles precisam ser colocados em pequenos grupos que justifiquem seu uso.

Entender sobre o tipo de KPI que está sendo usado pode ajudar a entender o que cada um deles consegue resolver. Separamos as principais categorias, com o que é mais comum de ser visualizado em empresas.

1. Primário

Como o nome já sugere, um KPI do tipo primário é considerado primordial que qualquer empresa possua, independente do ramo ou porte de trabalho. Ou seja, é tudo aquilo que vai marcar o desempenho atual e ser usado para medir novas estratégias.

Como KPI primário, podemos citar o número de leads e o custo de aquisição de cada uma deles. Além disso, as receitas também entram como índices principais de performance.

No que diz respeito à análise, os KPIs elencados nesse grupo precisam ser sempre os primeiros pontos avaliados, já que são a grande base para todos os outros.

2. Secundário

Os tipos secundários funcionam como um embasamento para os primários, quase como uma confirmação do que foi dito anteriormente. Por exemplo, se no primário nós falamos de custo de aquisição por lead, no secundário teremos os custos por estágio.

Ou seja, pega uma informação geral criada lá na parte principal e faz que ela seja validada em informações menores. Eles validam principalmente se os testes realizados estão cumprindo seu objetivo.

Entender o número de assinantes na newsletter ou quantas pessoas assinam o blog são exemplos clássicos de KPI secundário. Dessa forma, podemos entendê-los como a reafirmação, como a garantia do que foi dito anteriormente.

Normalmente, são usados quando a análise a ser feita é mais minuciosa, enquanto os primários apresentam uma urgência de apresentação.

3. Prático

O KPI prático funciona como um diário de indicadores que vão ser analisados a cada campanha realizada ou a cada estratégia colocada em prática. Nesse caso, são avaliados principalmente pelos próprios colaboradores que realizam as tarefas de marketing.

Por exemplo, a pesquisa de palavras-chave é um exemplo de KPI prático, onde os analistas ou redatores é quem precisam buscar as mais usadas e encontrar as oportunidades de uso dentro de cada uma delas.

Pensando nisso, é quase impossível determinar todos os indicadores práticos, já que sempre vão variar conforme a campanha realizada e quais os resultados esperados em cada uma delas.

Em geral, entender os tipos de KPIs ajudam uma empresa a saber quais índices passar para cada posição dentro da companhia. Por exemplo, enquanto um analista internaliza os KPIs práticos, um diretor está direcionado para os primários.

Quer saber mais sobre indicadores de performance e como implementar no seu dia a dia? Confira nosso blog com dicas exclusivas. Além disso, se inscreva em nosso canal do YouTube para ter dicas e insights sobre como aumentar suas vendas.